Blog

DEPRESSÃO: NEM TODOS DEMONSTRAM CHORANDO!

DEPRESSÃO: NEM TODOS DEMONSTRAM CHORANDO!

        “Enquanto o Padre Marcelo Rossi fala sobre a grave depressão que enfrenta, o Padre Fábio de Melo assumiu sofrer de síndrome do pânico, o ator Eduardo Sterblitch revela que também possui transtornos psicológicos e faz psicoterapia. Dois padres, um comediante. Isso te diz algo? Se não diz, vou explicar: Às vezes aquele seu amigo, colega ou familiar que convive com você todos os dias, aquela pessoa aparentemente divertida que conta piadas, passa por problemas que você desconhece. E não é porque ele te faz sorrir, que ele não enfrenta um monstro interior todos os dias sem que você perceba. Seja gentil com todos! Mais de 18 milhões de pessoas convivem com transtornos de ansiedade no país ou até mesmo problemas bem maiores, e nem todas demonstram chorando. Abrace, ofereça seus ouvidos pra alguém que precisa desabafar, e nunca diga que é drama, falta de Deus ou bobagem. Bobagem é o nosso preconceito! Tenha empatia”.
                                                       Texto foi publicado na página: "Augusto Cury".

            Disfarçar é uma maneira de sobreviver. É preciso ser aceito, por isso muitos escolhem camuflar o turbilhão interno para evitar que descubram o que está desajustado, confuso e, necessitando de ajuda.  Ajuda, dificilmente é cogitada, pois poderá manchar a reputação e atrapalhar a jornada de sucesso.

          Planos exigem foco, por isso as emoções conflitantes não são bem vindas. Disfarçá-las é uma maneira eficaz de manter a naturalidade. Demonstrar um alinhamento entre a vida pessoal e profissional demonstra competência, só que isso nem sempre é real. Muitas vezes a pessoa carrega nos ombros o peso de uma tristeza sem fim.

         A revelação dos padres, do ator e de tantas celebridades, joga luz sobre o tema e abre uma fenda para que a humanidade inicie uma nova forma de marketing pessoal.      Uma fenda com poder de descortinar o disfarce.

         Por que a dor física é gritada aos sete ventos e a emocional, não?
      Por que as pessoas compartilham, nas mídias sociais, que estão doentes, ou no hospital?
         Por que sintomas de depressão e ansiedade são escondidos?

       Bem, muitas vezes é porque, aquele que está com uma doença física, recebe carinho e reconhecimento, além disso, entende-se que a saúde foi afetada por excesso de trabalho e stress acumulado.

         Quando as doenças emocionais ficam evidentes aí, a versão é outra. Costuma-se se dizer que é fraqueza, infantilidade, preguiça, incompetência, e muito mais.

         Os rótulos, citados acima, fragilizam e por isso apagam a imagem de sucesso. Isso precisa ser revisto! Somos responsáveis pelo que sentimos, é preciso ficar atento, pois nem sempre está tudo bem.

         Não somos super-heróis que dão conta de tudo. Somos super-humanos e, por isso, demonstrar interesse pelo tema e zelar para que pequenos desajustes recebam cuidados especiais, precisam ganhar força.

        A visibilidade envolvendo grandes personalidades abre as fendas para a esperança.

       Esperamos dias melhores. Dias em que os sintomas emocionais sejam respeitos, assim como as doenças físicas. A prevenção é o melhor remédio para evitar o pior.

         Nas doenças físicas pode-se chegar a óbito, nas doenças emocionais pode-se chegar ao suicídio. Por favor, chega de disfarçar o que sentimos!

http://[email protected] 

 

 

 

 

22/09/2017

 

 


Newsletter

Receba novidades da palestrante Irlei Wiesel em seu e-mail

© 2015. Irlei Wiesel. Todos os direitos reservados.