Blog

QUE TAL O FRACASSO SER SEU AMIGO?

QUE TAL O FRACASSO SER SEU AMIGO?

         Empresas e pessoas buscam desenfreadamente por seguidores. O argumenta justifica o esforço para aumentar o número cada vez mais. A estratégia é simples, quanto mais seguidores mais sucesso. O termômetro é respeitado, pois ele mede o engajamento do público em relação ao que se oferece na internet.

         Quem conquista espaço no mundo virtual passa a ser idolatrado, porém, quem não tiver competência para manter-se a altura das expectativas dos seguidores será esquecido rapidamente. Sem o engajamento do público não há sucesso. É neste ponto, que o fracasso destila seu veneno oferecendo um cardápio doloroso para quem esteve no topo.

         Mistura de sentimentos e emoções borbulham naquele que outrora detinha uma legião de amigos invisíveis, como: rejeição, solidão, medo, ansiedade, pena, raiva, indignação, entre outros.

         Neste caso a depressão é uma possibilidade que ronda aquele que viveu a euforia de ter tido uma multidão de seguidores. 

      Este cenário é perfeito para aprender sobre a face oculta das emoções e sentimentos, sobre as atitudes e comportamentos diante do fracasso.

         Quando o fracasso está consumado é preciso considerá-lo real, pois negá-lo seria uma falácia. O termômetro para medir o sucesso, é o mesmo usado para medir o fracasso. Pois bem, então qual a saída para que a realidade do fracasso não provoque depressão profunda?  

         Oprah Winfrey disse certa vez: Haverá momentos em que você vai vencer muito. E é maravilhoso aproveitar esses momentos. Vencer é ótimo! Mas é quando as coisas dão errado que você mais aprende sobre si mesma. Por isso, deixe o fracasso ser seu amigo!

Ø Se o sucesso é tão badalado porque o fracasso não pode ser afagado e respeitado quando chega?

1. Por que o fracasso é visto como uma doença incurável?

2. Até quando ele será considerado um inimigo mortal?

3. Quem ainda acredita que fracasso é sinal de incompetência?    

4. Será que o fracasso ensina?

         Certamente nossa relação com o fracasso está errada. É hora de fazer ajustes. Por exemplo, quando fracassamos a tendência é procurar pelo erro cometido, certo?

         Avaliar as estratégias que levaram ao fracasso é correto. O que é incorreto é deixar que a dor do fracasso não ensine.

          O fracasso é um terreno fértil para contatar as emoções. É preciso tornar-se amigo do lixo emocional que aflora, para que juntos, você sucesso e também fracasso, invistam na causa do crescimento pessoal. Afinal, não é só topo que aprendemos, o fundo do poço é um grande professor que precisa um aluno: humilde, atencioso para consigo, amoroso com as falhas, compreensivo com posição sarjeta, esperançoso, acolhedor, fiel a vida e que seja um aprendiz do cair e levantar da vida.

          Por isso deixe o fracasso ser seu amigo e dance a valsa da aprendizagem com ele!

 

 


Newsletter

Receba novidades da palestrante Irlei Wiesel em seu e-mail

© 2015. Irlei Wiesel. Todos os direitos reservados.